Por Simone Moura.

 

Você saberia dizer sem pensar muito sobre o que o seu cliente compra quando vai até a sua empresa? Provavelmente você e sua equipe vão dizer que ele compra o seu produto ou serviço, porque ele é bom - mas eu posso lhe garantir que você está errado.    

 

Todos os negócios, sejam eles B2B ou B2C, do ponto de vista do seu cliente, deixaram de ser movidos simplesmente pela compra de um produto ou serviço bom. As novas gerações de consumidores não buscam apenas isso, mas a experiência total contida nesse processo. E essa experiência pode ser guiada através do propósito de uma empresa.

 

Muito tem se falado em propósito de marca, mas poucos conseguem ter o entendimento abrangente do que isso seja de fato.

 

Imagine um restaurante, onde o negócio tem como propósito proporcionar a experiência de consumo de alimentos orgânicos que buscam inclusive proteger o meio ambiente e uma produção sustentável. Esse propósito muda a forma que o consumidor vê uma marca. Ou seja, o consumidor não vai necessariamente para se alimentar nesse estabelecimento. Ele vai pela causa que essa marca se propõe a “abraçar” e defender, por seus valores e posicionamento. O consumidor vai por toda essa experiência.

 

O importante para as empresas que trabalham com um propósito maior é saber implementá-lo em um sistema “top-down” para impactar e inspirar lideranças, motivar colaboradores e refletir no consumidor. Ou seja, os colaboradores precisam ser envolvidos.

 

Propósito de marca não é moda. Não é algo que possa ser inventado. Precisa ser verdadeiro e encontrado de “dentro para fora” da empresa com a participação das equipes e lideranças. Só assim, será vivido de fato e disseminado para todos.

 

Clientes buscam verdade, além de qualidade. Produtos e serviços podem ser bons, empresas podem ser centenárias, mas em um mundo globalizado e multifacetado como o que vivemos, as empresas precisam entender que algo mudou e sua sustentabilidade no mundo requer também novas ideias.